Embolização dos Miomas Melhora Problemas do Trato Urinário

 

Foi descoberto a partir de estudos que a embolização dos miomas uterinos melhora uma série de problemas do trato urinário inferior das mulheres que são especificamente causados por miomas.

A embolização dos miomas uterinos continua a ser uma boa escolha para o tratamento das mulheres com miomas uterinos, e – com base neste estudo – o tratamento não cirúrgico melhora os problemas do trato urinário relacionados com os miomas.

Para ampliar seus conhecimentos sobre a embolização dos miomas uterinos, continue lendo este artigo.

Embolização dos Miomas

É importante explicar o que são os miomas uterinos antes de explicar amplamente sobre a embolização. Miomas uterinos são tumores benignos que crescem no útero e podem causar:

  • Sangramento menstrual prolongado, que pode ser grave o suficiente para causar anemia ou exigir uma transfusão;
  • Dor pélvica;
  • Mudanças na frequência urinária;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Abortos e infertilidade.

Cerca de 20% a 40% das mulheres com 35 anos ou mais têm miomas uterinos de dimensões significativas. Mulheres negras estão em um risco mais elevado para desenvolver miomas: até 50% têm miomas de tamanhos significativos.

Estudos anteriores já demonstraram que a embolização de miomas uterinos é um tratamento seguro e eficaz em comparação com a histerectomia. A embolização oferece menos riscos, menos dor e um menor tempo de recuperação em relação à cirurgia de histerectomia

Sintomas dos Miomas e a Embolização

Os miomas podem causar uma variedade de sintomas desagradáveis e de desregulação da vida urinária das mulheres, interferindo na frequência, urgência e necessidade de urinar durante a noite. A embolização dos miomas uterinos pode melhorar significativamente esses sintomas e a vida cotidiana das mulheres.

Os miomas uterinos são a indicação mais frequente para a histerectomia em mulheres na menopausa. Mais de 300.000 mulheres fazem essa cirurgia anualmente nos Estados Unidos para tratar os miomas uterinos sintomáticos.

Esta pesquisa mostra que a embolização dos miomas uterinos, técnica minimamente invasiva, reduz efetivamente os sintomas urinários relacionados com os miomas e deve, portanto, ser considerada como uma opção de tratamento. As mulheres devem conhecer suas opções terapêuticas e fazer as melhores escolhas de tratamento para elas. A embolização é uma opção para a histerectomia (retirada do útero) e para a miomectomia (remoção cirúrgica de miomas).

As mulheres que têm miomas uterinos precisam ter uma discussão franca sobre suas opções de tratamento com seus ginecologistas e uroginecologistas, especialmente se os sintomas urinários (tais como frequência e / ou urgência urinária, incontinência de esforço e retenção urinária) foram colocados em segundo plano e não foram abordados inicialmente. Na maioria dos casos, não é necessária uma histerectomia. Saiba mais. 

Como a Embolização é Realizada

A embolização dos miomas uterinos é realizado através do cateterismo das artérias uterinas e pela injeção de microesferas responsáveis pela obstrução do fluxo sanguíneo dos miomas. Este processo faz com que os miomas entrem em degeneração, levando-os a reduzir de volume e consequentemente à melhora dos sintomas causados pelos miomas.

O procedimento de embolização dos miomas é realizado por um cirurgião vascular ou por um radiologista intervencionista habilitado em procedimentos endovasculares, estando qualificado a realizar uma série de procedimentos operacionais relacionados ao cateterismo arterial, a imaginologia angiográfica e a análise do resultado. Contudo, o trabalho do cirurgião vascular/radiologista intervencionista no tratamento dos miomas se limita exclusivamente a execução do procedimento de embolização dos miomas uterinos.

Outros Benefícios da Embolização dos Miomas

A embolização também consegue controlar e aliviar muitos problemas do trato urinário como a frequência e/ou urgência e retenção urinária. Essa informação surgiu a partir de um estudo prospectivo que incluiu 46 mulheres (idade média de 44 anos) com miomas sintomáticos que apresentavam sintomas do trato urinário inferior e foram submetidas a embolização uterina de miomas entre março de 2008 e maio de 2010. Todos os indivíduos foram submetidos a uma ressonância magnética pré-procedimento pélvica e preencheram questionários validados que mediam o desconforto urinário, impacto na incontinência urinária/sexo, sintomas de miomas uterinos e qualidade de vida. Elas também completaram um diário padronizado da bexiga de 48 horas (no pré-operatório e três meses após o tratamento).

Três meses após o tratamento, as mulheres demonstraram melhora na maioria dos sintomas urinários. Os diários da bexiga apontaram uma redução significativa no número total de idas ao banheiro dia e noite. O volume uterino, tamanho dominante do mioma, localização ou compressão da bexiga não afetaram o grau de melhora nos escores de desconforto urinário. No entanto, os pesquisadores não encontraram diferença nos episódios de incontinência, incontinência de estresse ou pontuações de incontinência de urgência antes e após o procedimento.

Caso você se identifique com essa abordagem, saiba que para a indicação deste tipo de tratamento, é necessário que o ginecologista esteja habituado a este tipo de procedimento, afeito aos riscos e aos benefícios da embolização dos miomas, principalmente quando comparada às outras opções de tratamento dos miomas.

O ginecologista deve ter experiência suficiente na resolução das complicações não vasculares decorrentes da embolização dos miomas, como dor pélvica, infecções e parturição do mioma.

Converse com seu médico de confiança e retire suas dúvidas.

Referência:  Society of Interventional Radiology

Artigo Publicado em: 7 de dezembro de 2015 e Atualizado em: 18 de março de 2020

Continue Lendo…

Tratamento Dos Miomas

Qualidade de Vida Após o Tratamento dos Miomas

Mulheres que receberam um dos três tratamentos para miomas uterinos no Hospital Brigham and Women, em Boston, afirmaram que seus sintomas diminuíram e sua qualidade de vida aumentou significativamente, de acordo com um novo estudo publicado no Radiology.

Miomas uterinos são tumores pélvicos benignos que ocorrem em uma a cada cinco mulheres durante seus anos férteis. Embora nem todos os miomas causem sintomas, algumas mulheres apresentam sangramento intenso, dor e infertilidade.

Os miomas podem se manifestar em vários focos do útero e variar de tamanho, exigindo acompanhamento clínico ou intervenções cirúrgicas. Eles tendem a nascer benignos e morrer benignos; o risco de um mioma se tornar um câncer é extremamente remota.

Continue esta leitura e conheça mais a fundo o estudo que apontou os benefícios promovidos pelo tratamento dos miomas uterinos para a qualidade de vida das mulheres.

Qualidade de Vida Após o Tratamento dos Miomas – Estudo

As opções de tratamento disponíveis no hospital onde foi realizada a pesquisa incluíam a histerectomia, a embolização dos miomas uterinos e uma cirurgia com ultrassom focalizado guiado por ressonância magnética.

Ao discutir as opções de tratamento para os miomas uterinos, os prós e os contras de cada opção de tratamento precisam ser delineados. Mas, até agora, não tinha sido possível avaliar as opções terapêuticas relacionando-as com a qualidade de vida, com o alívio dos sintomas da dor, da ansiedade ou do tempo de recuperação.

No estudo, os pesquisadores examinaram um total de 197 mulheres, submetidas à histerectomia (62), à embolização dos miomas uterinos (74) e à cirurgia com ultrassom focalizado guiado por ressonância magnética (61), entre 2004 e 2006. A idade média das mulheres nos três grupos era de 47, 44 e 47 anos, respectivamente.

Um peso utilitário (uma única unidade de medida que abrange todos os diferentes benefícios de qualidade de vida a partir de uma intervenção de saúde) foi obtido para cada uma das opções de tratamento dos miomas, permitindo comparações de qualidade de vida antes e após o tratamento.

“A qualidade de vida aumentou significativamente após cada uma das opções de tratamento dos miomas. Contudo, as pacientes avaliaram os tratamentos não-invasivos ou minimamente invasivos como mais favoráveis”, afirma o ginecologista Carlos Del Roy, CRM-SP 62.224.

A embolização dos miomas uterinos é cada vez mais utilizada como uma alternativa para substituir a remoção cirúrgica do útero (histerectomia). A técnica requer apenas um pequeno corte na pele, através da qual é inserido um cateter para liberar partículas que bloqueiam o fluxo sanguíneo para os miomas.

A cirurgia com ultrassom focalizado guiado por ressonância magnética é uma opção não invasiva de tratamento para os miomas. Usa a energia do ultrassom para retirar os miomas. É rápida, indolor para muitas. O alívio dos sintomas ocorre em 12 semanas. A fim de ser amplamente adotada, a cirurgia com ultrassom focalizado guiado por ressonância magnética deve ser considerada tão benéfica quanto as alternativas estabelecidas.

Embora a maioria dos casos sejam assintomáticos, os sintomas mais prevalentes associados aos miomas incluem: maior perda de sangue no fluxo menstrual; período menstrual prolongado; aumento do volume do útero e da região abdominal; cólicas ou dores abdominais; prisão de ventre; incontinência urinária ou vontade frequente de urinar; dor durante a relação sexual/contato íntimo; dificuldade para engravidar e infertilidade.

Opções Terapêuticas para os Miomas

De acordo com Carlos Del Roy, não há uma abordagem única para o tratamento do mioma uterino. “Se a paciente tiver sintomas, deve conversar com seu médico sobre as opções mais adequadas para o seu caso. Muitas mulheres com miomas uterinos não experimentam sintomas, ou apresentam apenas sinais leves e pouco irritantes. Se esse for o seu caso, fazer o acompanhamento médico, sem necessariamente usar algum medicamento ou fazer uma cirurgia, pode ser a melhor opção”, diz o médico.

Já para as mulheres cujos sintomas comprometem suas atividades diárias, ou apresentam casos mais avançados, existem algumas modalidades de tratamento:

  • Medicamentos hormonais para impedir o desenvolvimento do óvulo;
  • (DIU) liberador de progesterona;
  • Contraceptivos;
  • Anti-inflamatórios não esteroides para a dor;
  • Suplemento de vitaminas e ferro, por conta dos nutrientes perdidos no sangramento.

Existem também os procedimentos cirúrgicos não invasivos ou minimamente invasivos:

  • Cirurgia com ultrassom focalizado guiado por ressonância magnética;
  • Embolização da artéria uterina;
  • Miólise;
  • Laparoscópica ou robótica;
  • Miomectomia histeroscópica;
  • Ablação endometrial e ressecção de miomas submucosos.

Existem também os procedimentos cirúrgicos tradicionais:

  • Miomectomia abdominal;
  • Histerectomia.

Necessidade da Histerectomia no Tratamento dos Miomas

A histerectomia configura um procedimento cirúrgico de remoção total ou parcial do útero. Na maioria dos casos de mioma, a histerectomia não é necessária, pois a possibilidade do mioma vir a tornar-se um câncer é extremamente rara. A remoção cirúrgica do órgão é necessária somente nos casos em que o mioma acomete o útero da mulher de maneira generalizada.

A maioria dos casos podem ser resolvidos através de abordagens terapêuticas menos invasivas, como o tratamento clínico, a embolização e a radiologia intervencionista. Além de serem menos agressivos, esses procedimentos permitem uma recuperação mais rápida.

Tratamento dos Miomas – Buscando Ajuda Médica

O profissional capacitado para diagnosticar o mioma e indicar o tratamento mais adequado é o ginecologista. O diagnóstico se dá por meio dos exames de mamografia e ressonância nuclear magnética.

Manter o acompanhamento regular com um ginecologista é fundamental para diagnosticar precocemente os miomas. Se isso acontecer, não se preocupe: técnicas cada vez mais modernas têm proporcionado às pacientes manejos efetivos (e minimamente invasivos) desses tumores benignos. A escolha do tratamento varia de acordo com o tipo, o estágio e as características específicas de cada mulher, partindo de uma avaliação completa e isolada.

Para mais informações, marque uma consulta e deixe-nos ajudar!

Artigo publicado em: 23/11/2015.

Artigo atualizado em: 25/04/2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agendar uma Consulta.
Escanear o código
Olá
Podemos ajudá-lo?