Conheça a Importância da Suplementação de Vitamina D na Menopausa
Suplementação de Vitamina D na Menopausa

Conheça a Importância da Suplementação de Vitamina D na Menopausa

Os benefícios da suplementação de vitamina D para as mulheres na pós-menopausa têm sido amplamente debatidos.

Mas um novo estudo, feito em São Paulo, documenta que a suplementação de vitamina D pode aumentar significativamente a força muscular e reduzir a perda de massa muscular corporal em mulheres, cerca de 12 anos ou mais após a menopausa. Os resultados do estudo foram apresentados na reunião anual da Sociedade Norte-Americana de Menopausa.

Importância da Suplementação de Vitamina D na Menopausa – Estudo

A deficiência de vitamina D é um problema comum em mulheres pós-menopáusicas em todo o mundo, provocando fraqueza muscular e uma maior tendência para quedas. O duplo-cego, controlado por placebo, foi realizado durante um período de nove meses.

A massa muscular foi estimada pela avaliação corporal total DXA, bem como por força de preensão manual e por meio de um teste de levantar da cadeira.

No final do ensaio, as mulheres que receberam os suplementos demonstraram um aumento significativo (+25,3%) da força muscular, ao passo que as que receberam o placebo, na verdade, perderam uma média de 6,8% da massa muscular.

Mulheres que não receberam suplementos de vitamina D também foram quase duas vezes mais propensas a cair.

“Os pesquisadores concluíram que a suplementação de vitamina D isolada confere proteção significativa contra a ocorrência da sarcopenia, que é uma perda degenerativa dos músculos esqueléticos”, afirma o ginecologista Carlos Del Roy, CRM-SP 62.224.

Osteoporose na Pós-Menopausa

Como já é de conhecimento geral, o início da menopausa é marcado pela última menstruação da mulher. Geralmente, esta fase ocorre na faixa etária dos 50 anos, com exceção dos casos de menopausa precoce.

A menopausa vem acompanhada por uma série de alterações hormonais, sintomas físicos e psicológicos, incluindo ondas de calor, calafrios, redução da libido, instabilidade emocional, problemas com o sono e até mesmo depressão.

A osteoporose é uma condição bastante comum durante o período de pós-menopausa, e ocorre quando o desgaste da massa óssea é superior a 25%. Fraturas ósseas desencadeadas pela diminuição da massa óssea são frequentes entre essas pacientes, além de uma maior propensão para quedas e sintomas de fraqueza muscular.

A prevalência da doença aumenta com o avanço da idade: entre mulheres na faixa dos 50-59 anos, a prevalência da osteoporose é de 4%; já em mulheres com idade superior a 80 anos, a prevalência sobe para 52%. Isso ocorre devido à perda de massa óssea, que tem início entre 2-3 anos da última menstruação e mantém-se por 3-4 anos após o início da menopausa. A partir daí, a mulher sofre uma perda óssea anual de 2%.

Tratamento da Osteoporose na Pós-Menopausa

Felizmente, existem alguns tratamentos capazes de promover uma melhor qualidade de vida para as mulheres que enfrentam a osteoporose na pós-menopausa. É o caso da suplementação de vitamina D, aliada, em alguns casos, à suplementação de cálcio.

Em um estudo realizado na China, com o objetivo de investigar a eficácia da suplementação de vitamina D e cálcio, algumas mulheres foram submetidas a um processo de suplementação diária com 0,25 mg/dia calcitriol e 600 mg/dia de cálcio, durante dois anos. Os resultados do estudo demonstraram uma otimização da força muscular, do desempenho físico e do estado de saúde das participantes, além de uma redução do seu processo de remodelação óssea.

Após a menopausa, as mulheres com osteoporose também sofrem mais com a incontinência urinária do que as mulheres sem a doença. Mas a fisioterapia pode produzir grandes melhorias neste quadro.

A Importância da Suplementação de Vitamina D em Mulheres Pós-Menopáusicas

Embora a suplementação de vitamina D não seja útil no alívio dos sintomas típicos da menopausa, como as ondas de calor, ela é fundamental para as pacientes que enfrentam a osteoporose e têm a capacidade do seu fígado diminuída nesta fase da vida, comprometendo a absorção da vitamina pelo organismo. Vale ressaltar que este nutriente é essencial para garantir a manutenção do esqueleto e a absorção de cálcio.

A exposição diária ao sol durante alguns minutos (salvo nos horários de sol intenso, entre 10-16h) pode contribuir significativamente neste processo, assim como a prática regular de atividade física, capaz de fortalecer a musculatura, proteger o esqueleto e prevenir fraturas ósseas.

Uma última recomendação para as pacientes pós-menopáusicas é manter uma dieta alimentar rica em vitamina D e cálcio, presentes em alimentos e bebidas como leite, iogurte, leite de soja, suco de laranja, salmão, sardinha, atum e espinafre. Para saber mais sobre o tratamento da osteoporose na pós-menopausa, consulte um ginecologista de confiança e informe-se.

Referência:

Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia

Artigo publicado em 9 de janeiro de 2017 e atualizado em 28 de agosto de 2019

R. Joaquim Floriano, 871 - Sala51/52 Itaim Bibi, São Paulo

Telefone:

11 3887 8701

Agendar Consulta