Prolapso Genital - Saiba Mais | Dr. Carlos Del Roy - Ginecologista em SP

Prolapso Genital – Saiba Mais

O prolapso genital trata-se da perda de sustentação fisiológica que mantém o útero, a bexiga e reto em suas devidas posições. Consequentemente, estes órgãos pélvicos deslocam-se para baixo e, em alguns casos, para o exterior da pelve.

Prolapso Genital – Saiba Mais

Existem três tipos de prolapso genital: o retocele, que refere-se ao prolapso do reto; o cistocele, que refere-se ao prolapso da bexiga; e o histerocele, que refere-se ao prolapso do útero.

O prolapso atinge somente mulheres, principalmente na faixa etária acima de 50 anos, apesar da possibilidade de se manifestar também em mulheres mais jovens que apresentam o mesmo em sua constituição física.

Graus de Prolapso Genital

O grau de prolapso é variável e classifica-se de acordo com sua posição na região pélvica:

  • Grau I: o prolapso de primeiro grau quase não provoca sintomas e ocorre quando o órgão posiciona-se mais que um centímetro acima do hímen;
  • Grau II: o prolapso de segundo grau ocorre quando o órgão posiciona-se entre um centímetro acima e um centímetro abaixo do hímen;
  • Grau III: o prolapso de terceiro grau ocorre quando o órgão posiciona-se mais que um centímetro abaixo (no exterior) do hímen;
  • Grau IV: o prolapso de quarto grau ocorre quando o órgão pélvico encontra-se por completo no exterior da pelve, ou seja, representa a emersão completa do órgão.

Prolapso Genital – Fatores de Risco

Sabe-se que o prolapso genital incide somente sobre o gênero feminino e tem prevalência nas idades mais avançadas. Existem alguns fatores de risco que favorecem o desenvolvimento da condição:

  • Gravidez: cerca de 50% das mulheres perdem algum mecanismo de sustentação pélvica devido ao parto;
  • Multiparidade;
  • Histerectomia e outras cirurgias pélvicas;
  • Esforço intenso e prolongado no trabalho de parto;
  • Realização de trabalhos intensos ao longo da vida;
  • Estiramento muscular crônico.

Prolapso Genital – Sintomas

O prolapso genital provoca sintomas urinários, intestinais, sexuais, entre outros. Os mais comuns são:

  • Incontinência urinária de esforço;
  • Incontinência fecal;
  • Frequência e urgência urinária;
  • Urgência defecatória;
  • Sensação de esvaziamento da bexiga;
  • Dificuldade em iniciar a micção;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Incontinência durante a relação sexual;
  • Incapacidade para atingir orgasmo;
  • Sensação de pressão/peso vaginal;
  • Dor na pélvis.

Prolapso Genital – Tratamento

Existem diferentes possibilidades de tratamento para o prolapso genital:

Fisioterapia

A fisioterapia é o tipo de tratamento conservador que provoca menos efeitos secundários, e não interfere em futuras possibilidades de tratamento, como a cirurgia. Consiste basicamente no fortalecimento do pavimento pélvico, que constantemente está sujeito a um esforço contínuo ao longo da vida.

O treino do pavimento pélvico das mulheres pode ajudar a prevenir ou retardar a deterioração de prolapso.

Cirurgia

Com a introdução de novas tecnologias em junção ao aumento da compreensão fisiológica em relação à condição clínica, a cirurgia do prolapso genital atualmente caracteriza-se por uma possibilidade de tratamento minimamente invasivo.

Entretanto, a cirurgia por si só não é eficaz em todos os casos: cerca de 58% das mulheres que passaram pelo procedimento cirúrgico voltam a ter prolapso.

Assim sendo, o fortalecimento da região pélvica, mesmo após a intervenção cirúrgica, garante melhores resultados a longo prazo, além de elevar a qualidade de vida da mulher.

Se você sofre de prolapso genital, marque uma consulta com o ginecologista de sua confiança, capaz de diagnosticar a condição e dar início ao tratamento adequado de acordo com suas especificidades.

R. Joaquim Floriano, 871 - Sala51/52 Itaim Bibi, São Paulo

Telefone:

11 3887 8701

Agendar Consulta